quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Eterna e alegre lembrança.

Filho(a):
"Sentirei falta das noites mal dormidas, dos dias cansativos, das horas e horas de brincadeiras, das tardes na pracinha, dos doces e das sessões de cinema, dos abraços espontâneos, dos olhinhos brilhando, do primeiro "eu te amo", do balanço balançando e a vozinha gritando "mais alto, mais alto", dos presentes esperados, das surpresas encantadas, dos beijinhos estalados, das mãozinhas delicadas, das histórias pra dormir e das longas gargalhadas.
Por isso quero usufruir desses breves momentos que tenho da sua pequena infância e enche-los de sabedoria e amor.
Para que da minha ligeira saudade se faça a sua eterna e alegre lembrança!" 
(Autora Nancy Medina)

Deixe o primeiro comentário

Total de visualizações de página