terça-feira, 25 de junho de 2019

Chá de Boldo: age como anti-inflamatório, cura ressaca, diminui o inchaço, melhora a digestão, diminui os gases e outros.


O Boldo da terra (Plectranthus barbatus) é uma planta arbustiva que desenvolve grandes hastes verticais atingindo de 1 a 2 metros de altura, a planta é originária da Índia e foi trazida para o Brasil, provavelmente, no período colonial . Também conhecido como boldo do Brasil, boldo de jardim, boldo-silvestre, boldo-falso e tapete de oxalá. O boldo apresenta folhas aveludadas, produz flores azuladas e tem sabor amargo.
Atualmente pode ser encontrada em todas regiões do país, e é muita utilizada para curar os males causados pela ingestão de álcool, cura ressaca alcoólica, por isto ficou muito famosa.
As folhas do arbusto do boldo são usadas na medicina popular. Podendo ser consumido na forma de chá para uma variedade de fins de promoção da saúde.
O chá de boldo é bastante conhecido por suas ações digestivas e por ser um ótimo aliado no bom funcionamento do fígado. Além disso, ele possui muitos benefícios para a saúde e o bem estar do corpo.
Seus benefícios são:

Diminui o inchaço e diminui os gases:

O chá de boldo é ótimo para combater gases e desinchar a barriga e ele deve ser ingerido após o preparo e sem adição de açúcar.

Anti-inflamatório:

O chá é muito eficaz contra inflamações, principalmente aquelas que dizem respeito ao estômago, fígado e intestino. O chá ajuda a sedar os elementos tóxicos no corpo, provocando uma diminuição da dor e melhora do organismo.

Bom para o fígado:

O chá de boldo auxilia positivamente na saúde do fígado. Ele é responsável por energizar o lançamento da bile digestiva pelo fígado, ajudando a remover os principais vestígios de toxinas.

Melhora a digestão:

O chá de boldo é conhecido principalmente por conter ações digestivas. Tudo isso porque ele ativa a produção da bile pelo fígado, melhorando a divisão dos alimentos. Além disso, ajuda a diminuir dores e cólicas intestinais. Apesar de todos estes benefícios, o boldo é contra-indicado em caso de obstrução da vesícula biliar e durante a gravidez, especialmente nos primeiros 3 (três) meses de gestação, porque ele pode provocar aborto ou causar malformações no feto.

Preparo do Chá de boldo:

Adicione 2 (duas) folhas da planta em uma xícara com água fervente e deixe descansar por alguns minutos. Pode ser tomado 2 (duas) xícaras por dia.

As folhas do boldo podem ser usadas frescas ou deixar secar ao sol durante alguns dias. Depois de secas as folhas devem ser guardadas em um recipiente de vidro, devidamente tampado.
Pode ser consumida através de chá e também se quiser pode macetar 2 (duas) folhas frescas e adicionar uma xícara de água fria e tomar 2 vezes ao dia.

Fonte da Pesquisa: Cura pela Natureza.
Créditos da foto: Andréa Ribeiro. (Foto Pessoal)
(Esta matéria é informativa e não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.)
terça-feira, 11 de junho de 2019

Chá de ERVA Cidreira tem efeito calmante, diminui a Pressão Arterial, tem Ação Antioxidante, diminui Cólicas Menstruais, diminui Problemas Estomacais e outros.


Outro dia fizemos uma matéria sobre o Capim Cidreira, também conhecido como capim limão, capim santo, capim cheiroso, dependendo da região, ver a matéria >> Benefícios do Chá de CAPIM Cidreira.
E muitas pessoas questionaram sobre a ERVA Cidreira, então é importante saber que o Capim Cidreira e a Erva Cidreira são plantas diferentes, nesta matéria vamos falar sobre a ERVA CIDREIRA, também conhecida Melissa officinalis, é uma planta medicinal da família da hortelã e do boldo, conforme a foto abaixo.
A erva cidreira possui ação benéfica em casos de gases, problemas estomacais e tem um efeito calmante que melhora casos de insônia, ansiedade, depressão e ajuda na redução do estresse. Além disso, a planta também melhora os casos das cólicas.
Esta erva é rica em polifenóis, terpenos, taninos, flavonoides, ácido rosmarínico e ácido cafeico e se destaca pela ação antioxidante.
Benefícios da Erva Cidreira:

Efeito calmante: A erva cidreira se destaca pela ação calmante e sedativa. Assim, ela ajuda a diminuir problemas de insônia, ansiedade e reduz o estresse. O óleo essencial de erva cidreira também é utilizado na aromaterapia por seu efeito sedativo leve.

Diminui as cólicas: A erva cidreira pode ser indicada em casos de cólicas menstruais porque ela proporciona o relaxamento, inclusive dos tecidos, e por isso ajuda a aliviar este problema.

Diminui problemas estomacais: A erva cidreira possui um efeito contra problemas gástricos. Contudo, ainda não há um consenso sobre o que proporciona este benefício. Os estudos relatam que sua atividade antiespasmódica e carminativa beneficiam o sistema digestivo, inclusive com melhora da indigestão associada à tensão nervosa. Muitas vezes, os indivíduos apresentam problemas gástricos devido ao estresse. O efeito sedativo e ansiolítico da erva cidreira pode auxiliar, amenizando sintomas gástricos e facilitando a digestão.

Diminui os gases: A erva cidreira ajuda a reduzir a produção de gases, isto provavelmente ocorre devido à capacidade do alimento de relaxar os tecidos.

Ação antioxidante: A erva cidreira possui forte ação antioxidante. Por isso, irá combater os radicais livres e evitar o envelhecimento celular, prevenir câncer, evitar a degeneração da mácula, proteger o coração e evitar doenças cerebrais degenerativas.

Diminui a pressão arterial: Alguns estudos apontam que a erva cidreira ajudaria a reduzir a pressão arterial porque proporciona uma vasodilatação leve dos vasos sanguíneos periféricos.

Diminui o colesterol ruim: Certas pesquisas apontam que a forte ação antioxidante da erva cidreira ajudaria a diminuir os níveis do colesterol ruim, LDL. Assim, a erva poderia prevenir doenças cardiovasculares.
Como consumir a erva cidreira:

A melhor maneira de consumir a erva cidreira é sob a forma de chá em infusão. Utilize entre 1 e 4 gramas de folhas da planta preferencialmente fresca para cerca de 150 ml de água. Ferva a água, depois a coloque sobre as folhas em um recipiente e deixe abafando entre cinco e dez minutos. Coe e aguarde. Tome o chá morno, entre 10 e 15 minutos após o preparo, preferencialmente sem adoçá-lo.

Segundo o formulário de fitoterápicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária a orientação é ingerir entre 1 a 4 gramas de folhas por cada 150 ml de água, sendo que a pessoa pode ingerir o chá entre duas e três vezes ao dia. Portanto, a pessoa não pode ingerir mais de 12 gramas de folhas de erva cidreira ao dia ou ultrapassar 450 ml do chá.

Por seu efeito sedativo, existe a possibilidade da erva cidreira interagir com medicamentos ou suplementos sedativos, os calmantes, por isso pessoas que fazem uso deles, devem consultar o médico antes de consumir a erva cidreira.

Altas quantidades de erva cidreira podem levar a uma frequência cardíaca mais lenta e a hipotensão, pressão arterial baixa.
A erva cidreira não é indicada para gestantes, lactantes e crianças com menos de 12 anos. Pessoas com hipotensão e hipotireoidismo também devem evitar o consumo desta planta. Quem utiliza medicamentos sedativos, como os calmantes, também deve evitar a erva cidreira.

Fonte da Pesquisa: Cura pela Natureza.
Créditos da foto: Andréa Ribeiro.
(Esta matéria é informativa e não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico.)

Pessoas que choram muito são poderosíssimas, confirma pesquisa.


“Todas as emoções não são iguais, nem encontram o mesmo grau de aceitação em nossa sociedade. A tristeza, entretanto, está catalogada como uma emoção negativa, uma emoção que se deve esconder e que inclusive deveríamos ter vergonha. As expressões da tristeza, com os ombros caídos, o olhar triste e o choro, são considerados sinais de debilidade e insegurança.
Uma sociedade que sempre demanda que estejamos felizes e alegres, dispostas a comermos o mundo, simplesmente é tremendamente injusta. Porque não funcionamos assim, frequentemente nos entristecemos.
Estigmatizar a tristeza só serve para nos fazer sentir pior, para que pensemos que não somos o suficientemente fortes como para aguentar os problemas sem virmos abaixo.

Por que as pessoas que choram são mais equilibradas emocionalmente?

- Não reprimem as suas emoções: Não há motivos para esconder a tristeza. Só as pessoas seguras de si mesma, com uma grande Inteligência Emocional, são capazes de reconhecer as suas emoções e expressá-las, mesmo que estas sejam consideradas “negativas”. É necessário muita coragem para nadar contra a corrente e expressar quem você realmente é ou como se sente nesse momento.
Na verdade, o filósofo Séneca afirmou que “Não tem maior causa para chorar que não poder chorar“.
Manter a mente fria e reprimir as emoções tem um grande custo, não só para nossa saúde psicológica como também física. Numerosos estudos tem vinculado a repressão emocional com um maior risco de desenvolver enfermidades como asma, hipertensão e patologias cardíacas.
-Aproveitam as lágrimas para mudar a perspectiva: As lágrimas não só são a água que limpamos a alma senão que também limpamos os nossos olhos, para permitir-nos ver a situação a partir de outra perspectiva. As lágrimas nos fortalecem e nos permite crescer. Com já dizia a poeta uruguaia Sara de Ibánez: “Vou chorar sem pressa. Vou chorar até esquecer o choro e alcançar o sorriso”.
Na verdade, 70% das pessoas pensam que chorar é reconfortante. E que o choro nos permite ver a situação por uma perspectiva mais positiva. Quando terminamos de chorar, a nossa mente se encontra mais clara e em poucos minutos seremos capazes de analisar a situação a partir de outro prisma. Isto se deve a que as nossas emoções se equilibraram e nossa mente racional está preparada para entrar em ação.

- Sabem que o choro é terapêutico: O choro estimula a libertação de endorfinas em nosso cérebro, que nos ajudam a aliviar a dor e também fomentam um estado de relaxamento e paz. É por isto que depois de chorar, nos sentimos muito melhores e relaxados. Na verdade, foi verificado que não é conveniente cortar o choro, mas deixar que flua porque a primeira fase só tem um efeito ativador , mas a segunda fase tem um efeito calmante que reduz a frequência cardíaca e respiratória, propiciando um estado de relaxamento. Ás vezes, o choro é mais benéfico que o riso.
Um estudo realizado na Universidade da Florida descobriu que o choro é profundamente terapêutico, sobretudo quando se une com um “remédio relacional”, ou seja, quando se aproxima outras pessoas e estas nos dão consolo. Também perceberam que o choro triste, esse que está destinado a criar novos vínculos depois de uma perda, tem um poder catártico. -Não se submetem as expectativas sociais: As pessoas que não tem medo de chorar se sentem muito mais livres, são capazes de expressar-se sem se verem pressas pelos convencionalismos sociais. Estas pessoas não tem medo de decepcionar os demais nem a mostra sua suposta “debilidade”, porque sabem que na realidade chorar não implica em nada disso.
As pessoas que choram são mais verdadeiras e não querem se ver maquilhadas pelas expectativas sociais. Essa consciência as levam a serem mais livres e a levar uma vida segundo suas próprias regras. Estas pessoas são verdadeiros “ativistas” que lutam por uma sociedade mais saudável emocionalmente onde as pessoas não se veem obrigadas a esconder o que sentem.

-Conectam emocionalmente através das lágrimas: O choro é uma das expressões mais íntimas dos nossos sentimentos. Quando choramos na frente de alguém, é como se estivéssemos desnudando nossa alma. Por isso, as lágrimas ajudam a criar um conexão muito especial, é como se conectássemos diretamente através do nosso “eu” mais profundo.
Quando uma outra pessoa “aceita” essa tristeza, sem tentar fugir dela ou nos brindar de falsas palavras de alento, simplesmente nos apoia e se mantém ao nosso lado, se cria uma conexão única.

Na verdade, uma das funções das lágrimas é precisamente a de pedir ajuda, mesmo que seja de maneira indireta, mostrando nossa impotência, para que os demais se acerquem e nos conforte.
Portanto, o choro e a tristeza não devem ser percebidos como um sinal de debilidade, senão como um sinal de fortaleza interna e atenção plena. Não choramos porque sejamos débeis ou incapazes, senão porque estamos vivos e não nos envergonhamos de expressar o que sentimos.
Lembramos que o comparativo da pesquisa não exprime algum tipo de ideologia ou apologia a tal tema de responsabilidade do site, estamos apenas reproduzindo um conhecimento científico.”

Publicado Originalmente em: Tá Certo.
Fonte da Pesquisa: O Segredo.

Carregando as Baterias - Linda Reflexão!

“Uma animação emocionante que conta a história de amizade entre uma idosa e um robô que vai deixar você com lágrimas nos olhos."

"Trata-se de uma belíssima animação da Malásia, que conta a comovente história de uma idosa que vive sozinha em sua casa, até a chegada de uma encomenda curiosa: um pequeno robô para ser seu amigo eletrônico.
Um vídeo para refletir não apenas sobre o poder da amizade, mas da simbologia universal da bateria como representação desta força vital, da energia que nos mantém vivos, nos faz movermo-nos, viver e renovar a esperança na vida, no trabalho, na amizade, no amor e tudo mais.
Impossível não pensar na vida atual, em que solitários se relacionam cada vez mais com pessoas virtuais, via redes sociais. Que muitos perfis falsos nas redes sociais são inclusive robôs que servem para disseminar propagandas ou vírus. Que muitos agem como autômatos diante de um fone celular, um tablet, notebook, quando conectados ao mundo digital.
O mais comovente na história é esta sutil ironia de que a máquina ter a consciência de que todos somos alimentados por baterias, e quando a dele acaba, a sua amiga idosa sempre troca a gasta por uma nova, permitindo que ele viva eternamente. Entretanto, quando a situação se inverte, é tocante ver uma máquina colocando suas pilhas novas e usadas no bolso da idosa, tentando reanimá-la. Um pequeno robô que age como uma ingênua criança descobrindo os mistérios da vida.
Quantas pessoas hoje em dia têm como melhores amigos seus equipamentos eletrônicos? Quantos vivem como robôs, de forma mecânica? Quantos humanizam suas máquinas, através das trocas - não de bateria, mas - de experiências de vida em rede?
Há que se pensar na educação mecanizada, quando esta é calcada apenas na distribuição de equipamentos eletrônicos - babás digitais - para substituir o papel social do educador, seja pai ou professor.
Até prova em contrário, as máquinas não têm alma, mas necessitam da troca ou recarga de baterias para sobreviver. As pessoas, que possuem alma, necessitam da troca de energia e também de experiências com outras pessoas para um melhor viver.
Um belo vídeo para refletir sobre o valor da amizade, das pessoas, das máquinas, da vida, da
educação e muito mais.”

Pesquisar este Blog.

Total de visualizações de página

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *