domingo, 11 de abril de 2021

Arruda: auxilia no tratamento de varizes; diminui dores de cabeça, dores de estômago, cólicas menstruais; e outros.

A arruda é uma planta aromática e pertence à família Rutaceae. Ela tem origem européia e um cheiro intenso, é considerada uma herbácea, utilizada desde a antiguidade, muito conhecida também na medicina natural. Em algumas religiões de matriz africana, ela é muito utilizada, pois acreditam que tenha o poder de afastar mau-olhado, também a planta costuma ser utilizada por benzedeiras em rezas e em vasos perto das portas de entrada das casas, para cuidar da proteção energética do local, no entanto isso não é comprovado cientificamente.
A arruda pode ser utilizada para auxiliar no tratamento de varizes, na infestações por parasitas, como piolhos e pulgas, ou no alívio das dores menstruais, já que pode atuar nos vasos sanguíneos, além de ter propriedades cicatrizantes, calmantes, vermífuga e analgésica.
A planta ainda conta com quercetina que tem propriedades analgésicas e psoraleno, que é empregado em casos de vitligo e psoríase. A alantoína, que é responsável pelo efeito cicatrizante, está presente na arruda.
Confira os benefícios da arruda:

- Auxiliar no tratamento de varizes: A rutina presente na arruda é responsável por aumentar a resistência dos vasos sanguíneos, evitando rupturas. Por isso a planta é utilizada no tratamento contra varizes. Contudo, o uso da arruda deve ser tópico.

-Ansiedade: A arruda possui o óleo essencial, que contém undecanona, metilnonilcetona e metilheptilcetona. Quando essas substâncias são aspiradas, elas possuem propriedades calmantes e diminuem a ansiedade.

-Diminui dores: A arruda também é muito utilizada para aliviar dores de cabeça, dores reumáticas, dor de estômago, cólicas menstruais, alivia o excesso de gases; Isto porque ela conta com o óleo essencial que contém undecanona, metilnonilcetona e metilheptilcetona, todas essas substâncias possuem propriedades calmantes ao serem aspiradas e aliviam as dores.

-A arruda também ajuda no tratamento de úlceras, cistos; alterações no ciclo menstrual, como amenorreia ou menorragia.

- A arruda pode ajudar a combater piolhos, pulgas, sarna e vermes, devido à propriedade vermífuga, além de também facilitar a absorção de vitamina C, ajudando a melhorar a imunidade.
É preciso lavar o cabelo com chá da planta, aplicando nos cabelos já molhados antes de passar o pente fino e assim eliminar naturalmente os piolhos e seus ovos. Como consumir a arruda:

A arruda tem potencial tóxico, então o seu consumo só pode ser feito após a orientação médica ou de um nutricionista. Após essas orientações a planta costuma ser inalada quando está na forma de óleo ou é passada na pele na forma de pomada, e também o chá de arruda, as partes utilizadas são as folhas e flores, o indicado é preparar o chá por infusão.

Efeitos colaterais e contra-indicações:

A arruda em contato com a pele e a exposição solar pode causar bolhas na pele. Isso foi observado em pessoas que coletam a arruda fresca e também em quem esfrega a arruda fresca na pele como um repelente de insetos. O óleo volátil da arruda é irritante, podendo resultar em danos renais e degeneração hepática se ingerido.
O chá de arruda é contraindicado para mulheres que estejam grávidas, uma vez que essa planta também pode apresentar efeito estimulante, a arruda possui um efeito abortivo muito forte. Também é vetado o seu consumo durante a fase de lactação. Além disso, o uso interno não deve ser feito por crianças, idosos ou por pacientes com doenças cardíacas ou renais.
O importante é que o consumo de arruda seja feito de acordo com a indicação do médico, isso porque grandes quantidades podem levar ao aparecimento de efeitos adversos, como tremores, gastroenterites, convulsões, vômito, dor abdominal, salivação e fotossensibilidade.

Chá de arruda:

Para fazer o chá de arruda, é indicado acrescentar 1 punhadinho de folhas secas ou frescas de arruda em 1 litro de água fervente e deixar por cerca de 15 a 20 minutos.

O ideal é ingerir no máximo duas xícaras do chá de arruda por dia.

(Esta matéria é informativa e não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico).

Deixe o primeiro comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *