sábado, 19 de dezembro de 2020

Lichia: protege o fígado; ajuda controlar a diabetes; previne doenças cardiovasculares; e outros.

A lichia é uma fruta muito saborosa e que possui muitos benefícios à saúde, é uma fruta avermelhada com casca áspera e quebradiça por fora e esbranquiçado e gelatinoso por dentro, com textura semelhante à da uva, sua polpa gelatinosa é adocicada, de agradável sabor, e pode ser consumida ao natural ou em sucos. A lichia é uma ótima fonte de vitamina C, ferro, cálcio, fibras e potássio; pouco calórica, podendo ser consumida à vontade por pessoas que se preocupam com o peso. A lichia, conhecida cientificamente como Litchi chinensis, é uma fruta exótica doce e com formato de coração, com origem na China, mas que também é cultivada no Brasil.
Na China, todas as partes da fruta são utilizadas na medicina popular. O chá da casca é utilizado para curar diarréias e dermatites causadas por varíola; da semente é feito um pó para ser usado como analgésico e curar problemas intestinais; e acredita-se que o consumo de lichias frescas alivia a tosse. Nenhum desses benefícios foram comprovados cientificamente.
Os benefícios da lichia são principalmente ajudar no correto funcionamento das células de todo o corpo, contrariando o efeito danoso do estresse ou da má alimentação, porque é rica em antioxidantes, como as antocianinas, flavonoides e taninos.

Confira outros benefícios da lichia para a saúde:

-Previne o desenvolvimento de doenças cardiovasculares;
-Evita o desenvolvimento de câncer;
-Protege o fígado de diversas doenças;
-Mantém a pele firme e perfeita;
-Melhora o metabolismo do organismo;
-Ajuda a controlar a diabetes, porque contém hipoglicina, uma substância que diminui a produção de glicose, ajudando no controle do açúcar no sangue.
A fruta lichia pode ser consumida crua, em suco ou chá com a casca, mas também existe lichia enlatada e até mesmo balas de lichia. Além disso, pode ser encontrada em sabonetes, perfumes e cremes, por exemplo.
O melhor momento para consumir esta fruta é após as refeições, devendo ser evitada seu consumo logo pela manhã, após algumas horas de jejum porque como ela impede a formação de glicose, que é fundamental para o funcionamento cerebral, seu consumo exclusivo pode ser grave causando até mesmo convulsões.

Dica: Ao comê-la crua, após retirar a casca, coma a polpa sem morder na semente, pois pode ficar um sabor amargo.

Fonte da Pesquisa: Google.com
Créditos da foto: Andréa Ribeiro.
(Esta matéria é informativa e não substitui o trabalho de um especialista)

Deixe o primeiro comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *